A adoção de ações de saúde preventiva nas empresas

As campanhas preventivas de saúde costumam fazer parte do calendário de atividades do setor de Recursos Humanos das empresas, sendo voltadas para informar e conscientizar os colaboradores sobre cuidados com a saúde física e mental. Assim, elas são uma ótima forma de cuidar dos colaboradores e deixá-los mais motivados. O que traz muitos benefícios para a empresa e também para o colaborador.

O motivo é que ter profissionais bem cuidados pode afetar diretamente nos resultados do negócio. Já que com mais conhecimento, eles cuidarão melhor da própria saúde. Outro ponto positivo é que sua empresa também passa a ser bem vista no mercado, pois está preservando também o valor humano dentro da sua política organizacional. Além disso, as empresas conhecem bem o perfil dos colaboradores e podem elaborar ações que estejam de acordo com as características desse público.

Logo os principais motivos para trabalhar campanhas preventivas de saúde nas empresas são:

  •  Conscientização sobre os mais diversos tipos de doença, como preveni-las e tratá-las;
  • Ajuda a identificar problemas de saúde ainda desconhecidos;
  • Ter profissionais mais conscientes aumenta a prática de hábitos preventivos;
  • Garante uma maior qualidade de vida aos colaboradores;
  • Promove a redução de número de afastamentos e custos por doenças;
  • Demonstra preocupação com os funcionários;
  • Fortalece a cultura organizacional e empresarial;
  • Promove um ambiente de bem-estar;
  • Aumenta o índice de motivação da equipe.

E como trabalhar ações na área da saúde com seus colaboradores? A empresa pode oferecer palestra com especialistas, exibir vídeos educativos, realizar rodas de conversas temáticas, distribuir brindes relativos ao tema para que sejam um lembrete da causa. É possível também investir em uma decoração temática e até incentivar uma ação social dentre os colaboradores.

Mas, se todos os meses há campanhas com temas específicos, isso não vai atrapalhar a produtividade dos funcionários? A resposta é não. Primeiramente você deve pensar nos benefícios dessas ações e atividades a médio e longo prazo. Ademais, é só uma questão de como organizar as atividades de modo que os colaboradores possam participar das atividades sem afetar o rendimento.

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado.

*